Fim da pirataria? Amazon patenteia técnica para rastrear conteúdo pirata

Recentemente, a Amazon patenteou uma nova técnica para identificar a fonte de conteúdo pirata de seu serviço de streaming de vídeo, o Amazon Prime Video, visando combater a pirataria como um todo. A patente foi notada pelo jornal inglês Computing, especializado em tecnologia.

O método vai atacar diretamente não os que consomem pirataria, mas aqueles que vazam o conteúdo para a Internet. Ou seja, a ideia é, como dizem, “cortar o mal pela raiz”.

E o melhor de tudo para a Amazon: a técnica é simples e bastante barata. Isso obviamente é bom para a Amazon. Já para os “pirateiros”, a novidade certamente não vai agradar.

A ideia da Amazon não é nenhuma revolução no combate à pirataria. Entretanto, a forma como ela vai funcionar é, sim, bastante inovadora. A seguir, vamos explicar um pouco mais sobre como ela vai funcionar!

Entenda como vai funcionar o novo método da Amazon

Com o novo método anti-pirataria, a Amazon espera identificar de maneira mais fácil o responsável pelo vazamento de seus filmes e séries para a internet.

A ideia da Amazon é a de inserir uma espécie de “assinatura pessoal” para cada um dos assinantes do serviço de streaming. Cada usuário vai ter uma identificação própria.

Assim, quando, por exemplo, um usuário dá um jeito de baixar um filme da Amazon e o compartilha na Internet, a empresa vai conseguir identificar a conta de quem fez isso a partir do próprio arquivo.

Nova patente contra pirataria da Amazon
Nova patente contra pirataria da Amazon (Imagem: Reprodução/Computing.co.uk)

Mas aí você pode se perguntar: e se o responsável pelo vazamento gravar a tela com uma câmera HD, por exemplo? Mesmo assim a Amazon ainda vai conseguir ler partes do código de identificação do usuário responsável pela gravação.

A identificação, entretanto, não é inserida no próprio vídeo, mas no “arquivo manifesto”. Ou seja, o arquivo que contém os metadados, ou seja, informações básicas sobre determinado programa que ajudam a plataforma em questão na hora de rodá-lo.

Código de identificação pode ficar até mesmo invisível

É isso mesmo: para dificultar ainda mais a vida dos pirateiros, o código de identificação gerado para cada usuário e inscrito no arquivo manifesto dos vídeos e séries do Prime Video pode até mesmo ficar invisível.

Dessa forma, o responsável pelo vazamento pode ter muita dificuldade para encontrá-lo e apagá-lo. Entretanto, a Amazon ainda vai conseguir ler facilmente a informação e localizar o indivíduo por trás da conta.

Ser invisível aos olhos humanos também garante que o assinante normal não perceba nenhuma poluição visual na tela enquanto assiste os filmes e séries do Prime Video. Ou seja, nada de um código perceptível em um dos cantos da tela, nem uma marca d’água gigantesca.

Aplicabilidade da nova técnica anti-pirataria da Amazon

A nova técnica anti-pirataria da Amazon certamente ilustra os esforços da empresa para combater a pirataria de seus filmes e séries. Entretanto, ela não se limita apenas aos serviços da Amazon.

Isso porque outras empresas que oferecem serviços parecidos, como a Netflix, a HBO, o Disney Plus etc. também podem vir a utilizá-la. Ou seja, pode abrir espaço para uma nova realidade no combate à pirataria.

Além disso, a técnica não se limita apenas aos serviços de streaming de vídeo. Ela também pode ser aplicada, por exemplo, a transmissões ao vivo de esportes. Sabe aquelas retransmissões ilegais de partidas de futebol ou de episódios do Big Brother Brasil no YouTube? Pois é: esse tipo de pirataria também pode estar com os dias contados.

Principalmente porque a tecnologia permite não só chegar à conta do assinante, como no caso da aplicação dela em serviços de streaming. Em caso de transmissões ao vivo, por exemplo, é possível conseguir até mesmo a localização geográfica do responsável.

Amazon
Photo by Christian Wiediger on Unsplash

O fato de o método atacar não o consumidor, especificamente, mas o responsável pelo compartilhamento também é um ponto forte do novo método da Amazon. Afinal, ele pretende estancar a fonte dos vazamentos. Ou, como já mencionamos, “cortar o mal pela raiz”.

E aí, o que achou dessa novidade? Você Acha que essa técnica contra conteúdo pirata da Amazon vai realmente ser o fim da pirataria? Conta para a gente aí nos comentários! 😉

Editor, redator e revisor da WebGo Content, graduado em Letras – Português/Inglês. Tem experiência com redação e revisão de textos para Web. Apaixonado por poesia, literatura, games, tecnologia e gatos.
FacebookLinkedin

Deixe seu comentário

doze − dez =