As Espiãs de Churchill | Por que o filme está fazendo tanto sucesso na Netflix

Explorando a participação feminina em atos que ajudaram a derrubar o nazismo, "As Espiãs de Churchill" é o filme que todos deveriam assistir.

Em “As Espiãs de Churchill”, filme disponível na Netflix, uma longa passagem da guerra que nunca foi muito explorada no cinema (ou em relatos da Segunda Guerra em geral) finalmente veio à tona e nos mostra como a participação das mulheres foi primordial para a execução de planos que ajudaram a acabar com a chacina de Hitler.

Com roteiro de Sarah Megan Thomas e dirigido por Lydia Dean Pilcher, o filme chegou ao streaming esse mês e em poucos dias conquistou o interesse de milhares de assinantes, afinal de contas histórias de espiões, especialmente as baseadas em fatos reais, têm grande apelo sobre o público.

A seguir, você conhece alguns motivos que fazem com que “As Espiãs de Churchill” seja um dos sucessos recentes da Netflix e porque vale muito a pena assisti-lo.

Sinopse de “As Espiãs de Churchill” na Netflix

https://www.youtube.com/watch?v=2Cab-fre6Cg

Em 1941 a guerra já era uma realidade há quase dois anos na Europa e as tropas de Hitler a cada dia conquistavam mais território e impunham medo por cada país onde chegavam.

Com esse avanço mais rápido que o previsto e o iminente perigo batendo à porta, a Inglaterra não tem agentes profissionais o bastante que possam agir como espiões nos países vizinhos. Dessa forma, a saída encontrada é iniciar o recrutamento de civis, entre eles, mulheres.

Com o aval do então Primeiro-ministro, Winston Churchill, a agente secreta Vera Atkins é encarregada de iniciar a procura por mulheres com perfil para se tornarem espiãs em solo francês, país onde a chegada do nazismo promove o terror junto à população que pode ser punida tanto se abrigarem suspeitos de espionagem, quanto (ao longo dos anos) se abrigarem judeus.

Dessa forma, duas mulheres acabam sendo treinadas para operações, Virginia Hall uma americana com deficiência em uma das pernas, treinada para liderar operações espiãs, proteger e recrutar aliados, e Noor Ynayat Khan, datilógrafa que assume o papel de mensageira entre espiões e base de comando.

Ambas mulheres precisarão de frieza, inteligência e coragem para concluírem suas missões que têm como objetivo a criação de resistências dentro do país, porém, para isso é importante que elas não sejam pegas pelo inimigo.

Protagonismo feminino não encontrado em livros de história

as espiãs de churchill netflix

Se você se lembra ao menos um pouco das aulas de história que teve na escola sobre a Segunda Guerra Mundial, muito provavelmente não conseguirá lembrar de sequer um nome feminino citado com relevância durante os atos antinazistas, correto?

Pois bem, esse é só mais um caso de apagamento histórico ao qual mulheres, negros e outras minorias foram submetidos ao longo dos séculos, com seus feitos sempre vistos como de pouca importância em comparação aos de homens (em sua maioria brancos).

“As Espiãs de Churchill”, muito além de contar uma história emocionante, extremamente bem roteirizada e produzida, têm como principal objetivo finalmente mostrar em tela o papel ativo que figuras femininas tiveram ao longo dos anos nas diversas missões que ajudaram a derrotar a Alemanha Nazista em 1945.

Baseado em mulheres pouco reconhecidas ao longo das décadas

O filme traz um recorte de três mulheres que viveram e lutaram em um dos períodos mais dolorosos da humanidade, e que apesar de terem tido muito pouco reconhecimento ao longo das décadas, foram responsáveis por uma “virada de chave” no meio onde atuaram, inclusive no pós-guerra.

Vera Atkins, Virginia Hall e Noor Ynayat Khan, foram escolhidas para representar centenas de mulheres espiãs que serviram seus países na época e se colocaram em risco na esperança de uma Europa livre do fascismo assassino de Hitler.

Dessa forma, talvez a maior questão que fica na mente quando você termina de assistir “As Espiãs de Churchill” na Netflix é: por que eu nunca ouvi falar dessas mulheres e dessas missões quando estudava a Segunda Guerra na escola?

Assim, com certeza um dos grandes motivos para que esse filme esteja se tornando tão popular na plataforma é a curiosidade por conhecer os feitos femininos, até hoje nublados, desse período.

Com isso, quem termina de assistir, além de conhecer mais um fato extremamente interessante, também se sente satisfeito em ver essa troca de protagonismo em um filme de guerra, o que faz com que “As Espiãs de Churchill” não seja apenas “mais do mesmo”.

Elenco de “As Espiãs de Churchill”

virginia hall as espiãs de churchill

Além da história, o maior trunfo de “As Espiãs de Churchil” foi a ótima escalação de seu elenco que conseguiu cumprir de forma emocionante a missão que lhes foi dada.

Começando com a estrela de séries de ação Stana Katic e sua interpretação da lendária spymistress, Vera Atkins, uma das maiores oficiais da inteligência britânica durante a Segunda Guerra.

Sarah Megan Thomas, além de ser a responsável pelo ótimo roteiro do filme, também assumiu o papel de Virginia Hall, e consegue emocionar e empolgar desde sua primeira aparição em cena.

A escolha perfeita de Radhika Apte para viver a idealista Noor Ynayat Khan, fecha com perfeição o trio escalado para viver as protagonistas desse filme que foi aclamado pela crítica e público em todos os festivais de cinema por onde passou.

Além das três, o elenco também conta com Linus Roache, Laila Robins, Rossif Sutherland, Rob Heaps, Mathilde Ollivier, Samuel Roukin entre outros.

CONFIRA Também:

Demais pra Mim | Por que o filme está fazendo sucesso na Netflix?

E então, o que acha do protagonismo feminino estar ganhando cada vez mais as telas? Conta para a gente aqui nos comentários ou nas redes sociais do Sobre Sagas

E depois de assistir “As Espiãs de Churchill na Netflix não deixe de nos contar sua opinião sobre o filme, ok!?

Formada em Marketing e pós graduanda do curso de Língua Portuguesa e Literatura. Trabalha na área de comunicação como Criadora de Conteúdo além de fazer trabalhos de atuação e locução para materiais em vídeo. Pseudo-cinéfila e apaixonada por todo universo Geek.

Deixe seu comentário

três + dezessete =