Conheça as pessoas reais que inspiraram ‘Vingança e Castigo’ da Netflix

O faroeste "Vingança e Castigo" estreou essa semana na Netflix, e apesar de ter enredo ficcional seus personagens são inspirados em pessoas reais. Conheça!

Um dos melhores faroestes dos últimos tempos estreou essa semana no streaming com um elenco de encher os olhos e uma história realmente cativante. Vingança e Castigo da Netflix, além de uma roupagem inovadora, tem ainda mais relevância quando consideramos que, apesar de sua história ser ficcional, seus personagens foram inspirados em pessoas reais.

Personagens negros em filmes de faroeste são coisa rara, e quando existem quase sempre estão em posição de escravizado, ou presos por algum tipo de estereótipo como o de empregado(a), por exemplo.

Pois bem, esse está longe de ser o caso de Vingança e Castigo e dos personagens históricos que os roteiristas Jeymes Samuel (também diretor do longa) e Boaz Yakin se basearam para criar sua história.

Confira a seguir detalhes sobre essas pessoas e suas histórias de vida reais, muito diferentes da aventura ficcional colocada em tela nesse filme da Netflix.

Nat Love

Nat Love da vida real, diferente do personagem de Jonathan Majors no filme, não buscava vingança pela morte dos pais e nem era um “fora da lei”.

O verdadeiro Nat Love nasceu como escravo em 1854 e, após a libertação de sua família, todos passaram a trabalhar em plantações no sul dos Estados Unidos.

Ao crescer, Nat se viu com grande talento para domar cavalos, e acabou se tornando um cowboy muito habilidoso e com uma fama discreta, participando de competições nas quais recebeu prêmios por seus feitos.

Tudo isso é contado em sua autobiografia, publicada em 1907. Nat se aposentou dos rodeios aos 35 anos, e arrumou emprego em uma empresa de trens. Ele faleceu em 1921.

Rufus Buck

Rufus buck vingança e castigo

O nêmesis de Nat Love em Vingança e Castigo, Rufus Buck, interpretado por Idris Elba, realmente foi um criminoso temido do Velho Oeste.

Buck era o líder de uma gangue violenta que cometeu vários crimes entre 1895 e 1896, entre eles assassinatos, assaltos a mão armada, sequestro e até estupros.

O grupo acabou sendo preso e julgado em 1896, tendo como sentença morte por enforcamento, que também aconteceu no mesmo ano.

Mary

A linda e destemida Stagecoach Mary, de Zazie Beetz, foi inspirada em uma figura histórica de mesmo nome que viveu nos anos de 1800.

Mary Fields da vida real foi uma mulher que desde cedo precisou trabalhar, inclusive assumindo profissões que naquela época eram consideradas majoritariamente masculinas.

Tendo investido em uma taverna (referenciado como o Saloon da Mary do filme), infelizmente o negócio não durou muito, e historicamente acredita-se que isso se deve ao fato de ela permitir que diversas pessoas pobres frequentassem o lugar sem pagar.

Aos 60 anos, ela se tornou a primeira mulher afro-americana a trabalhar como carteira no Serviço Postal dos Estados Unidos, por onde ficou por 11 anos, até sua aposentadoria. Nesse período, ela passou a ser muito querida na comunidade, e ganhou o famoso apelido de Stagecoach Mary, devido a todo zelo dedicado ao trabalho de entregar correspondências.

Trudy Smith

Assim como a personagem de Regina King, a Trudy Smith da vida real também foi uma fora da lei, porém, ao que parece, muito menos perigosa e violenta do que sua personificação em tela.

A verdade é que nem mesmo os roteiristas conseguiram muitas informações sobre a personalidade histórica, e sabem apenas que ela era uma batedora de carteiras de Barbary Coast, em São Francisco.

Bill Pickett

O amigo e companheiro de Nat Love, interpretado por Edi Gathegi, também não tinha nada de fora da lei e tudo de cowboy na vida real.

Bill Pickett foi o inventor de uma curiosa técnica para laçar gado, baseada no modo como os buldogues atacam suas presas. No caso, o cowboy conseguia derrubar um boi no chão, ao morder seu lábio, um feito realmente impressionante.

Com a técnica, ele se apresentava em feiras e rodeios, e viajou todo o país, se tornando uma sensação nesses eventos. Com o passar dos anos, ele se tornou tão famoso que se apresentava em grau de igualdade com Buffalo Bill.

Picket teve uma carreira de ator, e participou de filmes do início do cinema. Ele morreu em 1932.

Cherokee Bill

vingança e castigo

O personagem de LaKeith Stanfield, assim como os outros do bando de Buck, na vida real também era um criminoso.

Ele era um dos líderes da gangue Cook, que roubava bancos e lojas e matava qualquer um que pudesse interferir. Ele acabou sendo enforcado em 1896 e, apesar dos anos coincidirem, não há evidências de que ele e Rufus Buck tenham convivido de alguma forma.

Jim Beckworth

Jim-Beckworth Vingança e Castigo

Interpretado por RJ Cyler, e com sua fama de ser rápido no gatilho, o verdadeiro Jim Beckworth foi um comerciante de peles, explorador e lutador.

Quando mais velho, ele se juntou ao exército dos Estados Unidos e trabalhou para o governo. Faleceu entre 1866 e 1867.

Bass Reeves

A história do delegado de Vingança e Castigo da Netflix, interpretado por Delroy Lindo, é provavelmente a mais próxima da vida real.

Nascido como escravo, ele foi libertado após a Guerra Civil Americana e, com a emancipação, se tornou o primeiro delegado negro a servir no Mississipi.

Ele manteve o cargo por mais de 30 anos, prendeu mais de 3 mil criminosos, incluindo seu próprio filho, acusado de assassinato. Bass Reeves nuca se feriu em serviço.

CONFIRA Também:

Conheça “Amina”, novo filme africano de época da Netflix! Vale a pena assistir?

E então, já assistiu a Vingança e Castigo na NetflixO que você achou do filme? Conta para a gente aqui nos comentários!

Formada em Marketing e pós graduanda do curso de Língua Portuguesa e Literatura. Trabalha na área de comunicação como Criadora de Conteúdo além de fazer trabalhos de atuação e locução para materiais em vídeo. Pseudo-cinéfila e apaixonada por todo universo Geek.

Deixe seu comentário