No twitter, J.K. Rowling zomba de campanha LGBTQIA+ no aniversário de um assassinato homofóbico

J.K. Rowling se aproveitou de erro de digitação da Polícia de Gales para zombar de campanha LGBTQIA+ como "sinalização de virtude".

Desde que começou a compartilhar opiniões abertamente transfóbicas em suas contas oficias, a autora britânica J.K. Rowling tem estado em alta nas redes: de um lado, pessoas que apoiam a causa LGBTQIA+ tem criticado duramente os posicionamentos da autora, e de outro, alguns fãs da escritora e da franquia “Harry Potter” defendem suas colocações em prol de uma possível “liberdade de expressão“.

Recentemente, outra polêmica que envolve o nome de Rowling tem circulado nas redes sociais: em uma publicação compartilhada na última segunda-feira (21) em sua conta do twitter, a escritora zombou de um tweet da polícia de Gales do Sul, onde a corporação defendia uma campanha LGBTQIA+ no aniversário de um caso de assassinato homofóbico local.

Não demorou muito para que os seguidores da escritora e os ativistas da causa LGBTQIA+ repercutissem o caso pela internet, denunciando o posicionamento da autora que até então não se retratou sobre a colocação. Entenda melhor o caso:

Entenda o caso e o tweet de J.K. Rowling:

J.K. Rowling
J.K. Rowling aproveitou erro de digitação para zombar de campanha LGBTQIA+ (Imagem: Reprodução/SGP).

Tudo começou quando a filial de combate à homofobia da polícia de Gales do Sul  publicou um vídeo onde mostram viaturas que foram deslocadas para sinalizar uma campanha em combate a LGBTQIA+fobia. Em resposta, um cidadão local sugeriu que a polícia deveria parar de “sinalizar virtudes” e fazer seu trabalho. “Tenho certeza que as pessoas preferem ter esses dois carros patrulhando as ruas”, comentou o usuário.

Respondendo ao comentário, a página oficial da polícia de Gales do Sul comentou que “apoiar nossas comunidades não é sinalização virtual e nós não pediremos desculpas por fazer isso”. No caso, o administrador das redes da polícia acabou trocando os termos “sinalização de virtudes” por “sinalização virtual“. Confira:

Não demorou muito para que a autora fosse ao twitter  para compartilhar o tweet do departamento de polícia. Na legenda, J.K. Rowling aproveitou-se do erro de digitação para criticar a ação ao dizer que “sinalização virtual” é a mesma coisa que “sinalização de virtude” para as pessoas que “não são realmente idiotas”.

Após criticar o que seria essa “sinalização de virtude”, ao final do tweet a escritora ainda utilizou a hashtag #VirtualSignalling, que vinha sendo compartilhada por outros críticos da polícia local. Após as repercussões, contudo, a hashtag foi tomada por pessoas que criticaram o posicionamento da autora.

No mesmo dia, inclusive, também repercutiu na internet o fato da autora seguir a Fair Cop, página reacionária que reúne advogados e departamento de polícia críticos à ideia de gênero. Entre as publicações da página, é possível observar o uso da hashtag #SayYesToHate (Diga Sim ao Ódio) no Dia da Visibilidade Trans e imagens que comparam policiais sustentando a bandeira LGBTQIA+ com soldados nazistas.

Tweet da autora gerou repercussões

Não demorou muito para que o posicionamento de J.K. Rowling repercutisse, o que levou a autora a ser novamente criticada por sua LGBTQIA+fobiaEntre seguidores que a respondiam e comparações com a franquia, diversos posicionamentos foram marcados pela indignação com a autora. Confira:

“Apenas nessa semana, JK Rowling difamou a Rede de Polícia LGBTQ de Gales que fazia uma divulgação à comunidade após um homem ser morto em um crime de ódio homofóbico como “sinalização de virtude” e também espalhou desinformação de uma conta atualmente deletada do twitter sobre destransição transgênero. É segunda-feira”

“Apenas isso… por que você odeia tanto nós todos? Vamos lá. Diga-nos o porquê e de onde vem esse ódio? Você pode dizer. Nós queremos entender o porquê? Quem te ensinou sua desinformação, ódio e inflamou a sua raiva? Você se descobriu uma hater? Você pode contar a história? Você é boa nisso”

Comentário repulsivo e ignorante.
Aqui nós vemos JK Rowling atacando a Rede de Policia LGBT+ de Gales do Sul pelo seu trabalho próximo ao Bute Park – lugar onde o Dr Gary Jenkins foi assassinado em um chocante ataque homofóbico.
A segurança de pessoas LGBT não importa para você em nada?

 

Quando eu me assumi aos 15 anos e contei para meus pais que eu era gay, eu me escondi no meu quarto e não conseguia parar de chorar. Naquela noite, eu li Prisioneiro de Azkaban para me confortar. Eu vi o mundo que você criou como uma forte de conforto e segurança.
Então, uau. Cada um desses tweets é um soco no estômago.

CONFIRA Também:
Animais Fantásticos | Quanto J.K. Rowling recebe por cada filme da franquia?

E você, o que achou da nova polêmica envolvendo a autora? Compartilhe suas opiniões com a gente nas redes sociais, e para mais informações e denúncias sobre o caso, fiquem sempre ligados no Sobre Sagas!

Arquiteto e Urbanista aficionado por Cenografia e Cinema. Criador de conteúdo da área desde 2013 e apaixonado por adaptações cinematográficas, especialmente de fantasia.
FacebookInstagramLinkedin

Deixe seu comentário