La Casa de Papel | As mortes que mais deixaram os fãs tristes (até agora)

Relembre aqui as 5 mortes de personagens que mais deixaram os fãs de La Casa de Papel tristes (até agora, pois os dados ainda estão rolando!)

A série original da Netflix La Casa de Papel, que ganhou recentemente o primeiro volume da sua quinta e última temporada, é repleta de personagens carismáticos — e de mortes bastante trágicas e tristes.

Na lista de hoje do Tech News Brasil, você vai relembrar 5 das mortes que mais deixaram os fãs de La Casa de Papel chocados e igualmente tristes (até agora, pois os dados ainda estão rolando). Confira!

5 – Oslo

Roberto García Ruiz como Oslo em La Casa de Papel (Imagem: Divulgação/Netflix)
Roberto García Ruiz como Oslo em La Casa de Papel (Imagem: Divulgação/Netflix)

Oslo (Roberto García Ruiz), cujo nome verdadeiro era Radko Dragic, foi um veterano de guerra sérvio que se juntou à gangue na primeira temporada, ao lado de seu primo, Helsinki (Darko Peric).

Por saber muito pouco da língua espanhola, Oslo foi designado a controlar e intimidar os reféns no assalta à Casa da Moeda. Porém, durante a fuga, um dos reféns atingiu Oslo com uma barra de ferro na cabeça, ferindo-o mortalmente. Coube a seu primo dar o golpe de misericórdia, sufocando-o com um travesseiro a fim de evitar que ele fosse capturado pela polícia.

4 – Moscou

Paco Tous como Moscou em La Casa de Papel (Imagem: Divulgação/Netflix)
Paco Tous como Moscou em La Casa de Papel (Imagem: Divulgação/Netflix)

Outra das mortes que deixaram os fãs bastante tristes foi a de Agustin Ramos, conhecido pelo codinome Moscou (Paco Tous), personagem bastante importante nas duas primeiras temporadas de La Casa de Papel. Ex-presidiário, ele se juntou à gangue ao lado de seu filho, Denver (Jaime Lorente).

A fim de ajudar Tóquio (Úrsula Corberó) a entrar novamente na Casa da Moeda, Moscou e Rio (Miguel Herrán) foram à porta para dar cobertura a ela atirando nos policiais. Porém, ele acabou sendo atingido várias vezes no estômago, não resistindo aos ferimentos. A tragédia foi maior ainda pelo fato de ele e o filho terem brigado pouco antes depois de Moscou admitir ter largado a mãe de Denver, uma usuária de drogas, a fim de que ela não servisse de má influência a ele.

3 – Berlim

Pedro Alonso como Berlim em La Casa de Papel (Imagem: Divulgação/Netflix)
Pedro Alonso como Berlim em La Casa de Papel (Imagem: Divulgação/Netflix)

Irmão mais velho do Professor (Álvaro Morte), Berlim, interpretado por Pedro Alonso, foi um dos personagens com mais camadas de La Casa de Papel. Ao mesmo tempo em que era carismático, prestativo e estratégico, também tinha um comportamento misógino, era agressivo e parecia não ter a mesma empatia pelos reféns que o seu irmão mais novo tinha.

No final da segunda temporada, Berlim resolveu se sacrificar a fim de ganhar mais tempo para a gangue, assumindo o controle de uma metralhadora montada e segurando os policiais enquanto o restante da equipe fugia. Isso porque Andrés de Fonollosa (seu verdadeiro nome) sabia que não sobreviveria por muito tempo, já que sofria de uma incurável doença degenerativa.

2 – Nairóbi

Alba Flores como Nairóbi em La Casa de Papel (Imagem: Divulgação/Netflix)
Alba Flores como Nairóbi em La Casa de Papel (Imagem: Divulgação/Netflix)

Uma das mais trágicas mortes de La Casa de Papel foi de Nairóbi (Alba Flores), codinome de Ágata Jimnénez. Uma das características mais marcantes da falsificadora era o amor e devoção pelo filho, que foi retirado dela após problemas com a justiça. E foi exatamente esse amor pelo filho que foi usado como isca na Temporada 4, quando a inspetora Sierra (Najwa Nimri) usou o filho de Nairóbi para atraí-la a uma das janelas, fazendo com que ela fosse atingida por um atirador de elite.

Mesmo com a equipe tendo dado um jeito de resgatá-la e de tratar seu ferimento, Gandía (José Manuel Poga), chefe de segurança do banco, atirou na cabeça de Nairóbi, matando-a instantaneamente, o que abalou bastante o ânimo da gangue no final da quarta temporada.

1 – Tóquio

Úrsula Corberó como Tóquio na série La Casa de Papel (Imagem: Divulgação/Netflix)
Úrsula Corberó como Tóquio na série La Casa de Papel (Imagem: Divulgação/Netflix)

A mais recente das mortes — e também a mais trágica e comentada nas redes sociais — foi a de Tóquio (Úrsula Corberó) no final do Volume 1 da 5ª temporada de La Casa de Papel, após uma comovente despedida entre ela e Rio através de um buraco na parede.

Tóquio morreu enfrentando o esquadrão do Major Sagasta (José Manuel Seda), que invadiu o Banco da Espanha com o único objetivo de matar os membros da gangue. Ela foi baleada múltiplas vezes, caindo no chão aparentemente sem vida. Porém, quando Gandía se aproximou e virou o corpo de Tóquio com a bota, acabou descobrindo que ela havia soltado os pinos de quatro granadas, explodindo não apenas Gandía, mas também outros membros do esquadrão, ganhando tempo para a gangue e enfraquecendo a força policial.

Gostou dessa matéria sobre as mortes mais trágicas de La Casa de Papel? Pois aproveite e confira também:
La Casa de Papel | Por que a última temporada foi dividida em duas partes?

Editor, redator e revisor da WebGo Content, graduado em Letras – Português/Inglês. Tem experiência com redação e revisão de textos para Web. Apaixonado por poesia, literatura, games, tecnologia e gatos.
FacebookLinkedin

Deixe seu comentário

cinco × dois =