Microsoft compra empresa de inteligência artificial Nuance

Após rumores e confirmações sobre compras de outras empresas, como Discord e Zenimax, a Microsoft está realizando sua segunda maior aquisição desde a compra do LinkedIn. A empresa da vez é a Nuance Communications Inc, pioneira no desenvolvimento de tecnologias para reconhecimento de voz.

A transação custou à Microsoft 19,7 bilhões de dólares e é parte de uma estratégia para investir em inteligência artificial voltada para a área da saúde. Para isso, a empresa pretende oferecer soluções para médicos, durante consultas, e para hospitais, auxiliando na tomada e organização de registros. 

Nuance Communications é comprada pela Microsoft por quase 20 bilhões
Nuance Communications é comprada pela Microsoft por quase 20 bilhões de dólares. (Imagem: Reprodução/Microsoft)

Microsoft x Nuance

A negociação entre a Microsoft e a Nuance não é de agora, visto que ambas já estavam envolvidas em uma parceria desde 2019. Seu objetivo era desenvolver um software de inteligência artificial (IA) que permitisse aos médicos focar em seus pacientes sem se preocupar em tomar notas de tudo, além de fornecer sugestões com base em IA. 

Para esse fim, o software seria capaz de gravar a discussão entre médicos e pacientes e transferi-la para registros eletrônicos, reconhecer palavras chave na conversa e oferecer sugestões ao profissional com base em outros registros médicos e informações técnicas. 

Essa parceria também previa uma integração entre os produtos de reconhecimento de voz da Nuance ao chat do Teams, da Microsoft, para auxiliar em teleconsultas. Isso é interessante porque, com o isolamento social, muitas pessoas recorrem a esse atendimento remoto para solucionar seus problemas de saúde, evitando sair de casa e se expor. 

Mas por que comprar a Nuance se já existia essa colaboração? Segundo a Microsoft, a vantagem em adquirir a parceira é que, juntas, podem impactar permanentemente o serviço de saúde, melhorando os resultados e diminuindo custos. 

À medida que as tecnologias de análise de fala e de previsão de problemas médicos evoluem, essas empresas podem oferecer um produto sólido e confiável para provedores de saúde. 

Como será a mudança para a Nuance?

Segundo o CEO da Nuance, Mark Benjamin, a vantagem de se unir à Microsoft é aproveitar a oportunidade para ter foco e alcance global, e trazer preços mais interessantes a seus produtos.

Outra afirmação de Benjamin foi que, em discussões com a equipe da Microsoft, foi percebido que os serviços que visam oferecer podem solucionar os maiores e mais desafiadores cenários da atualidade. 

A negociação se encerrou por uma decisão unânime do Conselho de Diretores de ambas empresas a favor da aquisição, e deve ser completada ainda este ano. A partir de então, a Nuance se reportará à divisão de Intelligent Cloud da Microsoft, que possui como chefe Scott Guthrie.

Outra informação revelada é que Mark Benjamin se unirá à Microsoft e permanecerá como CEO da Nuance. Além disso, parceiros anteriores da empresa, como Epic Systems Corp. e Cerner Corp., ambas companhias da área médica, serão mantidos.

Microsoft x Saúde

Essa tentativa da Microsoft de entrar no mercado de produtos para saúde não é novidade, já que nos últimos anos há vários esforços para vender mais software de nuvem para hospitais e médicos. 

Por exemplo, em maio, a empresa revelou um novo pacote de software, o “Microsoft Cloud for Healthcare”, que inclui Teams, Azure e Dynamics 365. Além disso, houve contratação de executivos com experiência médica e pesquisas de “machine learning” e IA com foco em testes clínicos. 

Porém, ela não é a única que vê um futuro promissor nessa área, e a Amazon.com também tem buscado vender serviços de nuvem e o software da Alexa para companhias de saúde. Por isso, a compra da Nuance pode intensificar a competição entre as duas gigantes.

A Nuance Communications

A Nuance é uma empresa especializada em inteligência artificial, tecnologias de reconhecimento de voz, Resposta de Voz Interativa (IVR) e assistentes virtuais. Inclusive, ela está envolvida no desenvolvimento da Siri, assistente de voz da Apple.  

Porém, há três anos, sob o comando de Mark Benjamin, a empresa vem remodelando seu portfólio para focar em produtos para saúde pessoal e soluções para empreendimentos

Essa companhia também oferecia outros tipos de serviços, como uma inteligência artificial para automóveis chamada Cerence e uma divisão de processamento de imagens. Ambas foram vendidas, e os esforços movidos para encontrar parceiros entre provedores de saúde e grandes empresas que dispõe de registros médicos. 

 

Quer ficar por dentro de todas as novidades do mundo da tecnologia e do entretenimento? Pois nos siga no Twitter e tenha  acesso em primeira mão a todas as postagens aqui do Tech News Brasil!

Fonte: Microsoft

Formado em Jornalismo, atua como redator de notícias desde 2017 escrevendo sobre games e tecnologia. Também é Co-Fundador da Crenix Games, empresa de jogos digitais de Curitiba onde exerce uma de suas paixões: Design de Narrativas para Games.
FacebookLinkedinWikipédia

Deixe seu comentário

dez − 6 =