3 motivos para assistir “Rezar e Obedecer” e 2 para passar longe desse documentário chocante da Netflix

"Rezar e Obedecer" é o novo documentário polêmico de True Crime da Netflix. veja alguns motivos para assistir e não assistir a produção.

A categoria de documentários e uma das mais populares da Netflix, especialmente quando a produção é sobre crimes da vida real. O mais novo sucesso da plataforma é a minissérie Rezar e Obedecer, que desde seu lançamento já chocou a maior parte de seus espectadores.

Trazendo um dos casos mais famosos sobre alienação religiosa e formação de seitas já registrados, a série de quatro episódio conta em detalhes os crimes cometidos por dois líderes de uma igreja controversa dos Estados Unidos, que durante anos lesaram diversas vítimas.

Com uma abordagem focada em depoimentos de pessoas que tiveram contato com a seita, o documentário é baseado no livro de relatos escrito por Rebecca Wall, uma das vítimas da seita.

Confira a seguir alguns bons motivos que podem te fazer querer conferir esse documentário na Netflix, e outros dois que podem te fazer querer passar bem longe dessa produção.

Sobre Rezar e Obedecer

3-motivos-para-assistir-rezar-e-obedecer-e-2-para-passar-longe-desse-documentario-chocante-da-netflix

Em Rezar e Obedecer somos levados a conhecer desde o início da igreja conhecida como Igreja Fundamentalista de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, uma seita religiosa liderada durante décadas por Rulon Jeffs, acusado de diversos abusos contra os membros do culto.

A série mostra como os líderes da igreja usavam de verdadeiras lavagens cerebrais para justificar casamentos forçados e a poligamia com menores de idade e de que forma as denúncias contra esses fatos levaram seus líderes a serem julgados e condenados.

Motivos para assistir Rezar e Obedecer

Começamos com três bons motivos para dar uma chance para esse documentário de true crime da Netflix.

Caso contado pela percepção das vítimas

O primeiro bom motivo para assistir Rezar e Obedecer é que a maior parte da história é relatada por algumas das vítimas da seita religiosa que contam de que forma os líderes da seita usavam do medo para controlá-los.

Rebeca Wall e outras ex-esposas do líder fundamentalista Rulon Jeffs contam todos os passos dados dentro da seita, e os motivos por trás do grande poder que esses homens exerciam sobre todos os membros da igreja, especialmente as mulheres.

É extremamente interessante conhecer toda a história por suas perspectivas e não apenas por relatos de investigadores e de pessoas que, apesar de conhecer o caso, nunca realmente o vivenciaram.

Boa para entender casos de fanatismo religioso

Para a maior parte das pessoas que simplesmente não conseguem compreender casos de alienação e fanatismo religioso, eis aqui mais um ótimo motivo para assistir Rezar e Obedecer.

A série consegue dar um panorama muito claro dos artifícios utilizados pelos criminosos líderes da seita para manter os membros da comunidade calados e obedientes.

Ainda que para a maior parte dos espectadores ainda seja muito difícil entender como era possível acreditar em tais coisas, a partir do momento que se percebesse que a filosofia da igreja era passada entre seus membros como “lei suprema” e que a maior parte ali nunca conheceu outra vida, tudo se torna mais compreensível. Um verdadeiro exercício para se por no lugar das vítimas.

Um relato cruel, mas de superação

Por fim, apesar de a série ser bastante chocante e apresentar um relato geral cruel e de fazer qualquer um desacreditar na humanidade, no fim das contas a série é um produção sobre superação.

Mesmo tendo passado por vários horrores, é gratificante saber que boa parte dessas pessoas maltratadas e abusadas, conseguiram se livrar das amarras da seita e seguiram suas vidas, muitas vezes de forma feliz e assumindo grandes missões que deram um tipo de “propósito” para tudo de ruim que viveram no passado.

Motivos para não assistir

É claro que em se tratando de um documentário sobre a vida real, também há alguns motivos que podem fazer algumas pessoas não quererem vê-lo.

Relatos não indicados para pessoas sensíveis ao assunto “abusos”

Sim, como não poderia deixar de ser em um caso como esse, esse documentário não é indicado para pessoas que tem certa sensibilidade a relatos de abusos físicos, sexuais ou psicológicos.

Com depoimentos das vítimas, a série é repleta de gatilhos que podem ser emocionalmente muito difíceis de ouvir por parte dos espectadores.

Pode elevar o nível de estresse

Um pouco relacionado ao motivo anterior, a verdade é que essa minissérie consegue aumentar os níveis de estresse de qualquer pessoa.

Com um tema muito pesado e com histórias indignantes contadas pelas vítimas, é difícil ficar neutro assistindo o documentário, e mesmo que o sentimento principal não seja o de tristeza, a raiva certamente vai surgir, fazendo com que o público dificilmente termine os episódios se sentindo bem.

CONFIRA Também:

Desfile de Corações: Conheça esse filme com cachorro que está no top 10 da Netflix

Formada em Marketing e pós graduanda do curso de Língua Portuguesa e Literatura. Trabalha na área de comunicação como Criadora de Conteúdo além de fazer trabalhos de atuação e locução para materiais em vídeo. Pseudo-cinéfila e apaixonada por todo universo Geek.

Deixe seu comentário