5 motivos para assistir o filme ‘Escritores da Liberdade’ na Netflix

"Escritores da Liberdade" está disponível na Netflix e se você nunca assistiu a esse clássico, aqui estão cinco motivos para dar play agora.

Recentemente chegou à Netflix o filme “Escritores da Liberdade”, obra de 2007 que apesar de não ser nenhum lançamento, tem despertado a curiosidade do público.

Dirigido pelo cineasta Richard LaGravenese, esse filme conta com grandes nomes, entre eles a protagonista oscarizada, Hilary Swank (Menina de Ouro), o queridinho Patrick Dempsey (Grey’s Anatomye a camaleoa Imelda Stauton (Harry Potter).

Com um elenco desses é de se esperar que “Escritores da Liberdade” seja um filmão, certo? Pois bem, você não imagina o quanto!

Confira a seguir 5 motivos para dar play nesse longa-metragem que voltou a estar disponível na Netflix.

Sobre Escritores da Liberdade

escritores da liberdade

Com a violência incrustada tanto em sua vida escolar quanto na pessoal, os alunos de uma escola periférica dos Estados Unidos são jovens sem muitas perspectivas, subestimados desde sempre pelo sistema que os considera marginais.

É nessa realidade que Erin Gruwell (Hilary Swank), uma professora iniciante e idealista, é contratada para lecionar.

Assumindo uma turma separada por conflitos raciais, de gangues e de ideais, a princípio os estudantes não parecem dispostos a aprender. Porém, em pouco tempo a compreensão de que finalmente alguém está disposto a tirar o melhor deles, faz com que esse grupo descubra todo o potencial que tem guardado dentro de si.

Um filme inspirador

“Escritores da Liberdade” é um filme inspirador desde o começo e não estranhe se ao terminá-lo você sentir vontade de, assim como a personagem de Hilary Swank, se tornar professor.

Essa é aquela obra que te faz querer ser uma pessoa melhor e inspirar outras pessoas. Que bate muito na tecla da empatia e abre um universo de pensamentos mais otimistas em relação as boas intenções da humanidade.

Está precisando voltar a acreditar nas pessoas (inclusive em você mesmo)? Então, bora dar play em “Escritores da Liberdade” na Netflix.

Debates relevantes

As reflexões que “Escritores da Liberdade” faz sobre questões de violência, racismo e pobreza continua tão relevantes quanto quando o filme foi lançado.

A obra deixa muito exposto o fato de que nem sempre a falta de interesse estudantil e de “melhorar de vida”, tem relação com a vontade lúcida do indivíduo. Em muitos casos a raiz do problema está em um sistema preconceituoso, que prega desde sempre que isso ou aquilo só está ao alcance de um certo tipo de pessoa.

“Escritores da Liberdade” escancara como a exposição constante a violência dificulta a quebra desse ciclo para muitas crianças e jovens, que sem um exemplo e liderança fortes, acabam acreditando que esse é o único caminho.

Como disse, é um filme com uma relevância estarrecedora que faz repensar e muito em algumas falácias que acabam culpando vítimas ao invés de cobrar os reais responsáveis.

Uma educação humanitária e a verdadeira missão de ser professor

Pode-se dizer que educação humanitária é o verdadeiro protagonista de “Escritores da Liberdade”, que mais do que tudo mostra o quão importante é inserir o individuo no contexto daquilo que se quer que ele aprenda.

A personagem Erin Gruwell foi construída exatamente para evidenciar qual a verdadeira missão de um professor, que muito mais do que apenas lecionar, é fazer com que seus alunos sejam inseridos no processo de aprendizagem.

A missão da personagem não é apenas ensinar para que seus alunos possam ir bem em provas, mas para que muito do conhecimento adquirido realize mudanças profundas em suas vidas.

Emocionante

Como você já pode imaginar, é bom assistir a esse filme com uma garrafinha de água do lado porque as chances de terminá-lo desidrato é grande.

É quase impossível não se emocionar com várias das passagens de “Escritores da Liberdade”, desde o amor e perseverança apresentados pela professora, até as histórias difíceis de muitos de seus alunos.

Um filme para terminar com o coração quentinho e com os olhos marejados.

É inspirado em uma história real

escritores da liberdade história real
Professora Erin Gruwell e alguns dos alunos da sala 203# que fizeram parte do projeto “Diários dos Escritores da Liberdade” (Imagem: reprodução)

Por último, um dos maiores motivos para assistir a “Escritores da Liberdade” é que o filme é baseado em uma história real.

A professora Erin Gruwell realmente promoveu uma verdadeira revolução entre seus alunos de uma escola pública na cidade Long Beach.

Dessa experiência surgiu o livro “O Diário dos Escritores da Liberdade”, uma compilação de textos dos alunos que vivenciaram a metodologia adotada pela professora.

Vale a pena assistir Escritores da Liberdade na Netflix?

Se você leu todo o texto, com certeza não restam dúvidas de que sim, vale muito a pena assistir a “Escritores da Liberdade”.

Pessoalmente ouso dizer que essa é uma obra quase obrigatória para quem deseja saber mais sobre metodologias inovadoras de ensino e o poder transformador da educação. Não a toa que esse é um filme constantemente escalado nas grades de escolas e mesmo de graduações pedagógicas.

“Escritores da Liberdade” é aquele filme muito provável de entrar na sua lista de filmes preferidos da vida. Assista e depois volte aqui para nos contar sua opinião sobre ele, ok!?

CONFIRA Também:

Netflix divulga lista de séries e filmes natalinos de 2021; confira!

Para mais dicas sobre os lançamentos recentes no catálogo da Netflix, continue acompanhando a gente aqui no TechNews Brasil.

Formada em Marketing e pós graduanda do curso de Língua Portuguesa e Literatura. Trabalha na área de comunicação como Criadora de Conteúdo além de fazer trabalhos de atuação e locução para materiais em vídeo. Pseudo-cinéfila e apaixonada por todo universo Geek.

Deixe seu comentário

9 + dezesseis =