O Poder e a Lei: nova série de tribunal já se tornou a mais assistida da Netflix! Vale a pena ver?

"O Poder e a Lei" é a nova série jurídica da Netflix e que já está entre as mais vistas da plataforma. Veja se vale a pena assistir.

A série O Poder e a Lei estreou na última sexta-feira na Netflix e desde então se encontra entre as produções mais assistidas do streaming, atualmente em primeiro lugar no top 10 de séries. Mas será que vale realmente a pena assistir a essa série de tribunal? Bem, é o que você confere nos tópicos a seguir.

A nova série da Netflix é baseada em uma das sagas de livros escrita por Michael Connelly, conhecida como Série Michey Haller, onde o advogado é sempre o protagonista da história. A produção recente adapta o segundo livro dessa série, intitulado no Brasil como O Veredicto de Chumbo.

Apesar de não ter ligação criativa entre as produções, O Poder e a Lei funciona como uma continuação do filme homônimo lançado em 2011, que tinha Matthew McConaughey na pele do protagonista Mickey Haller, e que adaptava os pontos mais relevantes do primeiro livro da série citada antes.

Construída como um suspense jurídico e investigação criminal, não é de surpreender que a série se encontre entre as mais vistas da Netflix em tão pouco tempo desde sua estreia. Isso porque, esse gênero é um dos preferidos dos assinantes da plataforma.

Mas afinal, a série realmente tem qualidade ou é do tipo que apenas desperta curiosidade e é abandonada após o primeiro episódio?

Confira o nós achamos sobre ela nos tópicos a seguir.

Sobre a série

o-poder-e-a-lei-nova-serie-de-tribunal-ja-se-tornou-a-mais-assistida-da-netflix-vale-a-pena-ver

Nessa série, o advogado Mickey Haller acaba de sair de um período sombrio em sua vida após enfrentar uma fase de vício em analgésicos adquirido depois de um grave acidente.

Sem trabalho durante um longo período, ele é surpreendido com a notícia de que um antigo amigo de profissão morreu e deixou sob sua tutela todos os casos em que estava trabalhando, incluindo um importante caso de assassinato.

Agora Mickey tem uma nova oportunidade de voltar à ativa, porém, algo o perturba: afinal, quem matou seu antigo amigo e porque ele o escolheu para assumir os casos de seus clientes?

Vale a pena assistir O Poder e a Lei na Netflix?

Sem perder tempo, O Poder e a Lei é o tipo de série que mostra a que veio desde seu primeiro episódio: uma história com um protagonista inteligente, carismático e que precisa voltar a provar seu valor após um período crítico da vida.

Essa construção aliada a um elenco afiado, casos jurídicos interessantes e ritmo frenético, tornam essa série viciante, daquelas que a gente maratona sem perceber o tempo passando.

Manuel Garcia-Rulfo consegue imprimir muito bem a figura de profissional que sabe do que é capaz, porém, age inicialmente com certo receio devido a falta de confiança adquirida durante seu período como viciado. Isso humaniza o personagem, e faz com que o público crie uma empatia automática por sua pessoa, impulsionando a vontade de saber o que acontece no próximo episódio.

Neve Campbel e Becki Newton são outros pontos altos da série, ambas nos papéis de ex-esposas do protagonista, com personalidades diferentes, e que contribuem para a gangorra de seriedade e alívio cômico da história com seus apontamentos inteligentes e afiados.

Por fim, os casos defendidos por Mickey, tem exatamente o que qualquer fã de dramas jurídicos espera: investigações sem respostas simples, reviravoltas, algumas perseguições ao advogado e atuação performática e gritantes nas cenas de tribunal.

Claro que a série não é perfeita, e acaba segurando o roteiro em algumas coisas pouco relevantes, como o relacionamento “confuso” do protagonista com a primeira ex-mulher. Mas no geral, é uma ótima série jurídica, que vale a pena ser vista e que certamente vai deixar muitos assinantes querendo ver uma 2ª temporada.

Aprovada!

CONFIRA Também:

7 estreias da Netflix que merecem sua atenção nesta semana (16 a 20/05)

Formada em Marketing e pós graduanda do curso de Língua Portuguesa e Literatura. Trabalha na área de comunicação como Criadora de Conteúdo além de fazer trabalhos de atuação e locução para materiais em vídeo. Pseudo-cinéfila e apaixonada por todo universo Geek.

Deixe seu comentário