Conheça a história real que serviu de inspiração para o filme “Granizo”, mais novo sucesso da Netflix

Assistiu "Granizo"e ficou se perguntando se o filme é baseado em uma história real? Pois nesse texto a gente esclarece essa dúvida.

O filme argentino Granizo foi uma das grandes surpresas do ano até agora na Netflix já que, mesmo sem toda a pompa de divulgação da plataforma, o longa se encontra desde sua estreia entre os mais vistos. Mas será que toda a história de Granizo foi inspirada em uma história real?

Bem, a resposta é “mais ou menos”.

Toda a jornada do meteorologista Miguel Flores é ficção, no entanto, o filme é inspirado tanto em uma chuva de granizo torrencial, acontecida em 2018 na Argentina, quanto nos absurdos da sociedade atual que adotou a “cultura do cancelamento” de forma desenfreada.

Confira a seguir mais detalhes sobre esses acontecimentos usados como base para o roteiro de Granizo.

Sobre Granizo

conheca-a-historia-real-que-serviu-de-inspiracao-para-o-filme-granizo-mais-novo-sucesso-da-netflix

Nesse longa argentino, o meteorologista Miguel Flores é largamente conhecido graças a sua participação em um famoso programa de TV.

Quando uma chuva de granizo destruidora caí sem que ele tenha previsto e alertado a audiência, a enxurrada de críticas que recebe, faz com que ele decida deixar a profissão para trás e voltar para sua cidade natal.

Por lá, ele acaba redescobrindo suas raízes e entrando em uma jornada de autoconhecimento e aceitação.

Chuva de Granizo de 2018 foi inspiração para o filme

Granizo foi filmado em maior parte na província de Córdoba na Argentina, que acabou sendo usada como locação da cidade natal do protagonista Miguel.

Pois bem, foi justamente em uma das cidades dessa província, Villa Carlos Paz, que em fevereiro de 2018 uma tempestade de granizo gigantesca destruiu telhados, janelas, vidros de carro e causou o caos na região. A chuva é basicamente a história real na qual Granizo se inspirou o ponto inicial de seu roteiro.

A chuva foi tão forte que uma das pedras de granizo que caiu naquele dia começou a ser estudada como o maior granizo já visto, com diâmetro entre 18 e 23 cm. Os estudos estavam sendo realizados pela Sociedade de Meteorologia dos Estados Unidos empregando o método da fotogrametria, que mede tamanho e velocidade de objetos sob diferentes perspectivas para saber exatamente o tamanho do granizo caído.

Só por esse acontecimento, já dá para imaginar que sim, a chuva da vida real teve potencial tão devastador quanto a do filme e com certeza serviu de inspiração para o longa.

Crítica à “Cultura do Cancelamento”

Para além da chuva, ponto inicial de toda a história de Granizo, o fato da vida real que mais inspirou o roteiro do filme é a popular “cultura do cancelamento” que ganhou corpo nos últimos anos e se tornou um tipo de “terrorismo emocional” que dita que, independente do prestígio, da boa conduta e do sucesso, muitas vezes cultivados por décadas, qualquer um pode cair em ruína caso cometa um único erro.

Quando surgiu, isso era usado como forma de punir aqueles que exprimiam opiniões de cunho preconceituoso ou mesmo cometiam atos criminosos. No entanto (como tudo na internet), logo o “cancelamento” saiu de controle, e se tornou uma forma de punir qualquer pessoa com atitudes ou opiniões discordantes do que boa parte dos internautas “acha correto”.

É basicamente isso que acontece com o personagem Miguel do filme, que vê sua carreira de mais de 20 anos jogada fora porque acabou errando em uma única previsão.

Para o ator que dá vida ao personagem, Guillermo Francella, o filme consegue evidenciar bem como o cancelamento consegue transformar personalidade de “heróis em demônios” literalmente de uma hora para outra, satirizando os tempos absurdos nos quais vivemos atualmente.

CONFIRA Também:

7 filmes argentinos da Netflix pra quem gostou de “Granizo”

E você, o que achou de Granizo na Netflix? Conta para a gente aqui nos comentários!

Formada em Marketing e pós graduanda do curso de Língua Portuguesa e Literatura. Trabalha na área de comunicação como Criadora de Conteúdo além de fazer trabalhos de atuação e locução para materiais em vídeo. Pseudo-cinéfila e apaixonada por todo universo Geek.

Deixe seu comentário