Vale a pena começar a assistir ‘Mytho’ na Netflix? Descubra aqui!

"Mytho" é uma série francesa com duas temporadas disponíveis na Netflix, mas será que vale a pena dar uma chance para essa comédia dramática?

Produções de vários países ganharam espaço na Netflix nos últimos anos, incluindo as francesas como é o caso da comédia dramática Mytho. Portanto, se você é do tipo que curte produções do país, pode ser que já tenha dado uma espiada nessa série na plataforma de streaming, e se perguntado se vale a pena dar uma chance a ela.

É isso que pretendemos apontar nesse artigo.

Com direção e produção de Fabrice Gobert e Anne Berest, ao menos em seu país de origem a série deve ter dado boa, já que atualmente ela tem duas temporadas disponíveis no streaming e uma terceira vem sendo aguardada por algumas pessoas.

Mas será que isso quer dizer que a história realmente vale a pena? Confira nossa opinião a seguir.

Sobre Mytho

mytho netflix

Em Mytho, acompanhamos a história de Elvira (Marina Hands), uma mãe e esposa que acaba contando uma mentira que se torna uma bola de neve.

Com uma vida estressante, na qual precisa cuidar de três filhos ingratos, um marido que não ajuda em absolutamente nada em casa e um emprego com um chefe insuportável, um dia Elvira decide ir ao médico após sentir alguns nódulos nos seios.

Ao receber o resultado dos exames e descobrir que está bem de saúde, em um impulso inconsequente por necessidade de atenção, ela acaba falando para o marido que foi diagnosticada com câncer de mama.

A partir de então, ela precisa lidar com as consequências causada por sua falsa doença, que a cada dia fica mais e mais difícil de ser desmentida.

Vale a pena assistir?

Mytho é uma série que explora um sério distúrbio mental conhecido como mitomania, que em resumo é uma doença onde a pessoa mente compulsivamente, desde pequenas até grandes coisas.

Se você já assistiu a Garota Interrompida, clássico filme dos anos 90 com Winona Rider Angelina Jolie, é possível que se lembre que uma das personagens do sanatório onde as garotas ficam sofre justamente desse distúrbio.

A partir desse tema, os roteiristas criaram um enredo onde diversas emoções acabam acompanhando o espectador à medida que a história avança. Com isso, é possível que muitos desses sentimentos se aproximem do que pessoas que convivem com portadores desse distúrbio também sentem.

Em geral, não há nenhum motivo para que Mytho não seja uma boa opção na plataforma, ainda que talvez a história em si possa não prender 100% do público.

O roteiro é conciso e segue em uma boa linha de curiosidade para o expectador que de tempos em tempos se sente tão enclausurado pelas mentiras de Elvira quanto a própria personagem.

Apesar disso, um das coisas que pode acabar afastando algumas pessoas é justamente o sentimento de agonia que dá ao ver que a personagem (que por várias vezes inspira pena) simplesmente não consegue se livrar do embrolho em que entrou.

O trabalho dos atores, apesar de não ser nada excepcional, ainda assim é competente. Os personagens são fiéis a seus enredos e entregam o que deveriam, considerando os caminhos por onde a história vai.

Por fim, cabe dizer que esse é o tipo de história que não necessariamente precisaria de uma segunda temporada.

Apesar de ficar em aberto, a verdade é que o final da primeira temporada poderia funcionar muito bem como um desfecho completo para a série, visto que deixa uma constatação no ar que pode surpreender alguns espectadores ou confirmar as desconfianças de outros.

De qualquer modo, o veredicto final é que sim, vale a pena assistir pelo menos o primeiro episódio dessa série francesa e avaliar por si mesmo se continuar com a história ou não.    

CONFIRA Também:

Conheça “Amina”, novo filme africano de época da Netflix! Vale a pena assistir?

Para mais dicas de filmes e séries para assistir, ou não, na Netflix e em outros streamings, continue acompanhando a gente aqui no TechNews Brasil.

Formada em Marketing e pós graduanda do curso de Língua Portuguesa e Literatura. Trabalha na área de comunicação como Criadora de Conteúdo além de fazer trabalhos de atuação e locução para materiais em vídeo. Pseudo-cinéfila e apaixonada por todo universo Geek.

Deixe seu comentário