Uber trará bicicletas elétricas Jump para o Brasil em 2019

De acordo com o site de notícias de tecnologia Universo Online, comumente conhecido como UOL, a Uber vai trazer a modalidade de serviço de bicicletas elétricas compartilhadas, Jump, para o Brasil em 2019.

O Jump foi comprado recentemente pelo Uber, e funciona como um serviço de bicicletas elétricas compartilhadas, o serviço opera semelhante ao proposto pela Yellow, porém, com o benefício de possuir um motor elétrico para auxiliar na pedalada.

A América Latina é nossa prioridade máxima agora. Será em 2019, só não sabemos precisar o mês. São Paulo deve ser uma das primeiras cidades que vamos desembarcar“, afirmou Ryan Rzepecki, fundador e chefe da Jump, ao UOL Tecnologia.

O serviço de bicicletas elétricas compartilhadas da Jump, já possui atuação em 10 cidades dos Estados Unidos e anunciou, a pouco tempo atrás, expansão para a Europa.

A reportagem não especifica o mês que a novidade deve chegar ao país, no entanto garante que o anúncio inicial deve ser feito em breve e a atuação da empresa começará por uma área restrita da capital paulista.

Funcionamento do serviço de bicicletas Jump

A nova plataforma de serviço funcionará dentro do próprio aplicativo do Uber, e também exigirá o cadastro de cartão para utilização, no entanto contará com uma seção separada que apontará uma variedade de bicicletas elétricas disponíveis na sua área.

Para utilizar uma bicicleta do serviço, basta que o usuário acesse o aplicativo, localize uma bicicleta, dirija-se até a mesma, selecione a opção correspondente a bicicleta escolhida no aplicativo e em seguida digite na bicicleta o PIN que será disponibilizado pelo aplicativo, para destrava-la.

Vale destacar que existe a possibilidade de o usuário utilizar o aplicativo apenas para destravar uma bicicleta, localizada sem utilização do aplicativo, e utilizá-la normalmente.

Ao fim do percurso basta prender a bicicleta, com a trava de fixação da mesma, a um poste ou algo do tipo para que a viagem seja automaticamente encerrada.

Destacamos que como a bicicleta é elétrica, ela é mais pesada que uma bicicleta comum. Ressaltamos ainda que caso o usuário deixe o equipamento fora da área específica de atuação o serviço irá cobrar taxas extras.

Fonte: UOL Tecnologia

Flavio Carvalho
Gestor de Projetos e Pessoas da WebGo Content. Especialista em SEO e novos Projetos. Formado em Relações Públicas (PUC/PR) e experiência de mais de 10 anos no Marketing Digital.

Deixe seu comentário