Vale a pena assistir “Meu Irmão, Minha Irmã” na Netflix? Confira nossa opinião!

O filme italiano "Meu irmão, Minha irmã" tem chamado a atenção no catálogo da Netflix. Confira se vale a pena dar uma chance para a produção.

O cinema italiano é rico desde sempre, porém, apenas agora está chegando com mais força para o espectador brasileiro. O filme “Meu irmão, Minha irmã” é um bom exemplo de produção que pode conquistar o público de forma fácil, e estreou no último dia 8 de outubro na NetflixMas, será que realmente vale a pena dar uma chance a ele? Veja o que achamos.

Com direção de Roberto Cappuci“Meu irmão, Minha irmã” é aquele filme que chega com o objetivo de emocionar o espectador. Sendo assim, quem gosta de dramas bonitos, provavelmente vai achar refúgio nessa produção.

Veja a seguir mais detalhes sobre esse original Netflix e algumas razões que podem te fazer querer dar play na produção.

Sobre Meu irmão, Minha irmã

Nik (Alessandro Preziosi) e Tesla (Claudia Pandolfi) são irmãos que não se veem há 20 anos, e que voltam a se encontrar após o falecimento do pai.

Enquanto Nik é o cara de meia-idade que ainda vive como se fosse um adolescente, Tesla é mãe de dois filhos e nunca deixou completamente a casa do pai, de quem cuidou durante toda a vida.

Com a morte do patriarca, uma exigência acaba pegando os irmãos de surpresa: eles só poderão dividir a herança da família, após morarem na mesma casa por um ano inteiro.

Com visões sobre a vida muito diferentes um do outro, Tesla  precisará superar toda a mágoa que guarda pelo irmão ter se afastado por tanto tempo, além da relação difícil que mantém com os filhos. Ao mesmo tempo, Nik precisará lidar com um trauma antigo deixado por uma ex-namorada, e precisará reaprender a viver em família.

Vale a pena assistir “Meu Irmão, Minha irmã” na Netflix?

meu irmão minha irmã

Com tantas opções chegando diariamente na Netflix, o espectador pode ficar meio perdido sobre o que vale e o que não vale a pena ser visto na plataforma.

No caso de “Meu irmão, Minha irmã”, pode-se dizer que é um filme para quase todo tipo de pessoa. E mesmo que não chegue a se tornar memorável para o público mais exigente, ainda assim, é uma película belíssima que certamente não pode ser considerada “perda de tempo”.

Um drama familiar

De fato estamos muito acostumados com filmes sobre o amor romântico, sendo assim, produções que tem como foco o amor fraternal, acabam sendo uma lufada de ar renovado.

Nesse caso, muito mais que apenas a história de dois irmãos que nutrem um relacionamento difícil, “Meu irmão, Minha irmã” aborda as relações familiares como um todo.

A comunicação entre pais e filhos, o afeto intrínseco entre um sobrinho que acaba encontrando no tio distante a influência que esperou a vida toda. A responsabilidade que acaba surgindo quando percebemos que nossos atos podem afetar profundamente pessoas que amamos.

Todos esses assuntos são abordados em “Meu irmão, Minha irmã”, e contornam o filme com muita delicadeza e sensibilidade.

Um filme comovente

Como já adiantamos lá no início do texto, “Meu irmão, Minha irmã” é o tipo de filme para quem gosta de histórias comoventes.

Repleto de elementos e abordagens que despertam o lado mais emocional do público, é possível derramar algumas lágrimas assistindo a essa produção.

O mais interessante disso, é que esses momentos não se dão porque o roteiro segue uma história triste, mas sim pela beleza de algumas cenas.

A verdade é que, vendo cruamente, “Meu irmão, Minha irmã” até que segue um roteiro bastante simples e não consegue abrir mão de alguns clichês. No entanto, são alguns momentos preciosos desse mesmo roteiro, com boa direção de cena e interpretações convincentes que o tornam um ótimo drama.

Um bom ritmo e uma reviravolta interessante

É bastante comum que dramas familiares tenham um ritmo mais lento, no entanto, Meu irmão, Minha irmã” consegue manter uma boa agilidade em seu roteiro, o que não deixa que ele se torne cansativo.

Outra coisa interessante é que, pode ser que alguns espectadores acabem se surpreendendo com o roteiro.

Apesar de inicialmente parecer que toda história envolvendo os irmãos e sua família é “aquilo mesmo”, o espectador pode esperar uma reviravolta interessante.

Não vamos dar detalhes sobre para não entregar elementos importantes, porém, é bom saber que há mais isso para despertar interesse pelo filme.

CONFIRA Também:

5 motivos para assistir Deadwind; na Netflix — Vale a pena começar?

E você, tem indicações de filmes emocionantes que também estão disponíveis na Netflix? Conta para a gente aqui nos comentários.

Formada em Marketing e pós graduanda do curso de Língua Portuguesa e Literatura. Trabalha na área de comunicação como Criadora de Conteúdo além de fazer trabalhos de atuação e locução para materiais em vídeo. Pseudo-cinéfila e apaixonada por todo universo Geek.

Deixe seu comentário

catorze + seis =