WhatsApp esclarece as novas regras de privacidade após polêmica

Recentemente, noticiamos aqui no Tech News Brasil  a recente polêmica de privacidade envolvendo o WhatsApp, que atualizou seus termos de uso e causou a revolta de muitos usuários.

A polêmica foi bastante negativa para o Facebook, empresa atualmente responsável pelo WhatsApp, e positiva para empresas desenvolvedoras de outros mensageiros. O Signal, por exemplo, passou o WhatsApp na lista de mais baixados do Android no começo dessa semana.

WhatsApp
(Imagem: Photo by Rachit Tank on Unsplash)

Isso porque muitos usuários estão, agora, procurando alternativas ao WhatsApp. Aliás, se você está procurando, também, confira este nosso artigo com dicas de segurança na hora de escolher um novo mensageiro.

Diante da repercussão negativa, o WhatsApp resolveu tentar esclarecer as novas regras de privacidade em uma postagem no site oficial da empresa, intitulada “Answering your questions about WhatsApp’s Privacy Policy” (“Respondendo suas questões a respeito da Política de Privacidade do WhatsApp”).

Pontos destacados pelo WhatsApp a respeito da política de privacidade

Na postagem, o WhatsApp destaca alguns pontos em relação à sua política de privacidade com objetivo tanto de esclarecer alguns detalhes mal interpretados pelo público quanto desmitificar alguns rumores.

Os pontos, resumidamente, são os seguintes:

  1. Nem o WhatsApp nem o Facebook podem ver as mensagens privadas ou escutar as ligações de seus usuários;
  2. O WhatsApp não mantém um registro salvo das pessoas para quem os usuários ligaram ou mandaram mensagens;
  3. O WhatsApp não tem acesso à localização compartilhada pelo usuário;
  4. Além disso, o WhatsApp também não compartilha a lista de contatos do usuário com o Facebook;
  5. As conversas em grupo no WhatsApp são privadas.

Além disso, o WhatsApp também reforçou dois pontos. O primeiro de que os usuários podem fazer uso das mensagens temporárias, uma das novidades do WhatsApp. As mensagens temporárias são mensagens que desaparecem completamente e automaticamente da conversa depois de 7 dias. Isso aumenta, em parte, a privacidade do usuário.

O segundo ponto é o fato de que os usuários podem, a qualquer instante, baixar os próprios dados. Com isso, é possível saber o que o WhatsApp mantém guardado sobre você.

Esse esclarecimento por parte do WhatsApp desmitifica alguns rumores de que o Facebook teria acesso às mensagens privadas e até mesmo às chamadas de voz e de vídeo do app. O que não é verdade, segundo a postagem da empresa. Isso porque, como já sabemos, o WhatsApp utiliza uma tecnologia de criptografia de ponta.

Razões para a mudança nos termos de privacidade do WhatsApp

Além disso, na postagem em questão, o WhatsApp também aproveitou para reforçar algumas das razões para a mudança nos termos de privacidade.

Segundo o WhatsApp, as recentes inovações na parte comercial do aplicativo exigiram as mudanças. Vale lembrar, por exemplo, que hoje em dia já é possível fazer compras dentro do WhatsApp. Para isso, o usuário pode conversar com um perfil comercial, acessar um catálogo e até mesmo fazer o pagamento do pedido. Tudo isso sem sair do app.

Nesse tipo de conversa, algumas informações do cliente podem passar para os serviços de hospedagem do Facebook. Além disso, essas informações também podem ser utilizadas para fins de marketing. Como, por exemplo, direcionar anúncios no Facebook e no Instagram com base em suas experiências de compra pelo WhatsApp.

Entretanto, caso os seus dados estejam sendo usados para esses fins, você vai receber uma notificação do WhatsApp no próprio app. Possivelmente na conversa com o perfil comercial em questão.

WhatsApp Business
WhatsApp Business (Imagem: Reprodução/WhatsApp)

Ou seja, as alterações nos termos de privacidade, segundo o WhatsApp, não afetam necessariamente as conversas pessoais e privadas. Mas podem, de fato, afetar as conversas com perfis comerciais.

O objetivo, entretanto, não é de o espionar o usuário nem nada disso, mas de utilizar o contato que o usuário teve com perfis comerciais para sugerir anúncios cada vez mais precisos. Não apenas no WhatsApp, mas também no Facebook e no Instagram.

E você, o que achou de toda essa história? Voltou a confiar no WhatsApp ou a decisão de migrar para outro mensageiro é irreversível? Pois conta para a gente aí nos comentários!

Editor, redator e revisor da WebGo Content, graduado em Letras – Português/Inglês. Tem experiência com redação e revisão de textos para Web. Apaixonado por poesia, literatura, games, tecnologia e gatos.
FacebookLinkedin

Deixe seu comentário

um × um =