Brasil no Programa Espacial Artemis – A parceria entre EUA e Brasil

Nesta terça-feira, (21), o conselheiro de Segurança Nacional dos Estados Unidos, Robert O’Brien, convidou o Brasil para fazer parte do Programa Espacial Artemis. O programa pretende levar novamente seres humanos à Lua em 2024. E terá pela primeira vez uma mulher na tripulação!

Recentemente, publicamos um artigo falando sobre a parceria entre NASA e Nokia para a construção da primeira rede celular na Lua. Ambas as notícias indicam que os EUA estão realmente investindo bastante numa nova fase da exploração espacial.

Brasil no Programa Espacial Artemis

O convite foi anunciado em uma publicação no Twitter pelo próprio conselheiro de Segurança Nacional, Robert O’Brien. Ele foi feito num momento de aproximação entre Estados Unidos e Brasil. Além das promessas de investimentos do país norte-americano em território brasileiro.

O secretário esteve no Brasil recentemente, a fim de discutir algumas questões envolvendo os dois países. Dentre elas, surgiu, por exemplo, a pauta do Brasil no Programa Espacial Artemis.

No Twitter, O’Brien escreveu: “Em nome do Presidente Donald Trump, estou honrado em convidar o Brasil para assinar os Acordos Artemis. Estes acordos vão guiar os EUA, o Brasil e os países parceiros com interesses em comum à medida em que fortalecemos os esforços de exploração espacial em busca de um futuro próspero”.

O Programa Artemis

A última viagem tripulada à Lua ocorreu em 1972, ainda no Programa Apollo. Desde então, nenhum outro ser humano voltou a pisar no solo lunar.

O Programa Artemis vem para quebrar estes quase 50 anos sem uma viagem do ser humano à Lua. A primeira missão do Programa está prevista para 2021, mas não será tripulada.

Já a missão Artemis 2, prevista para 2023, contará com uma tripulação que pousará em solo lunar. Dentre os tripulantes enviados ao satélite, pela primeira vez na história haverá uma mulher.

Este feito, inclusive, explica o nome do programa: Artemis, na mitologia grega, era a irmã de Apollo e deusa da Caça e da Lua. Trata-se, assim, não só de uma referência ao programa Apollo. É também, portanto, uma homenagem ao fato de haver uma mulher na tripulação da missão.

A astronauta, ainda a ser definida, não será a primeira mulher no Espaço. Diversas já saíram da Terra em foguetes tripulados. A primeira, por exemplo, foi a russa Valentina Tereshkova, em 16 de junho de 1963.

Por fim, é importante mencionar que o programa visa não só o aumento dos investimentos na exploração espacial. Ele também envolve a exploração sustentável do solo lunar e a preparação para uma missão ainda mais ousada: permitir que o ser humano colonize Marte.

O que você acha do Brasil no Programa Espacial Artemis? Interessa-se por novidades envolvendo a exploração espacial? Pois clique aqui e fique por dentro de outras notícias como essa!

Editor, redator e revisor da WebGo Content, graduado em Letras – Português/Inglês. Tem experiência com redação e revisão de textos para Web. Apaixonado por poesia, literatura, games, tecnologia e gatos.
FacebookLinkedin

Deixe seu comentário

11 + quinze =